Notícias

Atualizações sobre o transporte de carga China – Brasil | 13.8

Despacho Aduaneiro de Importação

Ainda não há indicação de quando as operações do Terminal de Meishan, em Ningbo, na China, serão retomadas após um caso positivo de covid-19 ser identificado na região.  

Em um comunicado na noite de quinta-feira, o porto de Ningbo indica que todos os outros terminais seguem em operação. O porto está negociando ativamente com as companhias de navegação, direcionando-as para outros terminais e divulgando informações em uma plataforma de dados em tempo real.

Uma das ações para minimizar o impacto é o ajuste do tempo de operação de outros terminais para garantir que os clientes possam liberar suas remessas.

Todas essas ações já refletem nas operações em Xangai, pois torna-se uma alternativa para embarques da região de Ningbo.

Em Xiamen, Foshan, Qingdao, Xiamen já é possível observar omissões, escala direta sendo cancelada (no caso de Qingdao) e rolagem de carga.

Os armadores seguem reduzindo a quantidade de dias livres para entrega dos contêineres em Santos, de maneira que, o retorno do equipamento seja ainda mais rápido para atender a demanda de importação.

Existem agora mais de 200.000 TEU de cargas ancoradas ao redor de Ningbo, segundo as estimativas do site de notícias Splash.

De acordo com especialistas, é muito cedo para dizer que a situação será semelhante ao surto que interrompeu os embarques através dos terminais Yantian em junho, mas por este ser o período mais importante do ano para o transporte de cargas internacionais, é necessário observar os sinais de tensão na cadeia de abastecimento. 

Mesmo que sejam curtos os períodos de suspensão dos serviços em portos importantes como Ningbo, os efeitos podem ser muito mais amplos nos prazos de entrega e nos custos de transporte.

Do outro lado do Pacífico

Enquanto isso, o porto de Los Angeles, que viu seus volumes caírem por causa do surto de Yantian em junho, já se prepara para outro declínio potencial por causa da última paralisação em Ningbo.

O número de navios ancorados que esperam para entrar nos portos de Los Angeles e Long Beach era de 31 na última terça-feira, mais que o triplo do número no final de junho. Enquanto isso, o frete de um contêiner de 40 pés de Xangai a L.A. ficou perto de um recorde esta semana, em US $ 10.322, de acordo com o Drewry World Container Index publicado na quinta-feira.

Devido ao aumento do volume de cargas, o país enfrenta problemas de congestionamento também nos seguintes locais de terminal: Savannah, Houston, Nova York, Oakland e Seattle.

A extensão da situação é percebida nos modais rodoviário e ferroviário nos EUA.

Como planejar o embarque de carga em períodos complexos

Nesse contexto, importadores, exportadores e empresas que atuam nesse mercado se questionam sobre como serão os próximos meses. A perspectiva que devemos ter é de resiliência e a necessidade de comunicação em todas as esferas possíveis, sejam internas ou externas. Ao mesmo tempo, é preciso acompanhar atentamente o cenário, pois pode haver melhoras gradativas. Quem atua nesse setor já aprendeu como coordenar a operação em tempos complexos, contudo, é preciso ter cautela e entender as movimentações do mercado, que sofrem alterações diárias, e a tendência é que essas incertezas permaneçam nos próximos meses.

Assim, o principal fator para ter sucesso nas operações de logística em tempos de crise é estar em linha e manter proximidade com os acontecimentos do mercado. Os parceiros são uma das principais fontes de informação. Fazer a pergunta certa e no momento certo é fundamental. Saindo um pouco do dia a dia, do usual, é possível ter uma visão mais ampla. Informação e planejamento sempre foram uma boa alternativa, mas hoje, mais do que nunca, isso se intensificou e se tornou ainda mais necessário.

Dúvidas para planejar o embarque da sua carga em agosto?

Entre em contato com o time de especialistas da Pluscargo Brasil via Whatsapp.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *